DHPP prende mais três suspeitos de assassinarem adolescente em "tribunal do crime"

Duas mulheres e um homem foram presos por suspeita de envolvimento com o assassinato.

05/08/2022 09:51h

Compartilhar no

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) deflagrou, nesta quinta-feira (04), a segunda fase da operação "Caecos", que tem como objetivo investigar a morte da adolescente Maria Camila Ferreira da Silva, de 16 anos, vítima do tribunal do crime. Segundo a delegada Nathália Figueiredo, do Núcleo de Feminicídio do DHPP, duas mulheres e um homem foram presos por suspeita de envolvimento com o assassinato.



 "A adolescente teria sido, segundo os laudos periciais, torturada. Na primeira fase, realizamos a prisão de três moças e através dessas prisões tivemos mais informações e chegamos a alguns nomes, nomes esses que foram alvos da segunda fase da operação Caecos. Foram cumpridos três mandados de prisão, duas moças e um rapaz, todos maiores de idade", informou a delegada.

Local onde o corpo foi encontrado. Foto: Jailson Soares/O Dia

As prisões foram realizadas no bairro Palitolândia, região da Vila Irmã Dulce, zona Sul de Teresina. Segundo a delegada, um novo inquérito policial foi instaurado no sentido de identificar e realizar a prisão de demais envolvidos no tribunal do crime. Até o momento, seis pessoas já foram presas por suspeita de envolvimento no crime.

A investigação apura se uma tatuagem que Maria Camila usava em referência a uma organização criminosa teria motivado o assassinato. A menor foi dada como desaparecida na Vila Irmã Dulce, na zona Sul de Teresina, após supostamente ser raptada por uma organização criminosa. A família da adolescente chegou a receber foto de Camila chorando. No dia 27 de abril, a jovem foi encontrada morta nas proximidades do rodoanel com sinais de violência. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Edição: Com informações de Chico Filho.

Deixe seu comentário