Polícia Civil prende ex-militar acusado de assassinar advogado no Piauí

Outro homem também foi preso durante a investigação; os mandados de prisão temporária foram expedidos pela Vara Única de Luís Correia e executados no município de Peritoró, no Maranhão.

20/07/2022 17:26h - Atualizado em 20/07/2022 19:26h

Compartilhar no

O Grupo de Repressão ao Crime Organizado (Greco), em parceria com a Polícia Civil de Peritoró (MA) e Delegacia de Luís Correia, prendeu, nesta quarta-feira (20), dois homens acusados de participar do assassinato do advogado Raimundo José Costa Siqueira, que ocorreu em abril deste ano, no litoral piauiense. Segundo a investigação, um dos indivíduos, identificado como Erasmo de Morais Furtado, é ex-policial militar e já havia sido preso anteriormente, em 2019. Já o seu parceiro de crime foi identificado como Fábio Roberto Ruiz. 

De acordo com informações do delegado Tales Gomes, coordenador do Greco, os mandados de prisão temporária foram expedidos pela Vara Única de Luís Correia e executados no município de Peritoró, no Maranhão. A investigação foi presidida pelos Delegados Perikles Lima e Aldely Fontenele. Durante a operação, foram apreendidos duas armas e um veículo. 

O delegado Tales destaca ainda que a morte do advogado Siqueira tem relações com os crimes que o mesmo cometia.

Erasmo de Morais Furtado e Fábio Roberto Ruiz (Foto: Divulgação/Greco)

Entenda o caso 

Raimundo José estava na zona rural de Luís Correia na noite do dia 06 de abril, em um veículo modelo S10, quando teria sido surpreendido por dois indivíduos. Os criminosos teriam se passado por policiais e abordaram o advogado e um militar, identificado com Anderson, que fazia a sua segurança. Em seguida o advogado teria sido alvejado por três disparos de fuzil. Baleado na perna, o policial conseguiu escapar, porém o corpo do advogado teria sido levado pelos criminosos.

Mais de 20 dias após o desaparecimento, o corpo foi encontrado pela Capitania dos Portos do Brasil.

Advogado Raimundo José Costa Siqueira (Foto: Reprodução/Arquivo Pessoal)

Advogado foi preso em 2019

Na ficha criminal de Raimundo José consta uma prisão em fevereiro de 2019 pelos crimes de estelionato e falsidade ideológica. O advogado era proprietário de uma autoescola e foi acusado de aplicar golpes contra alunos que tentavam tirar a CNH.

De acordo com a investigação da Delegacia de Combate aos crimes contra o Patrimônio (DEPATRI), Raimundo José adquiriu a autoescola em 2017 e continuou a utilizá-la em nome da antiga proprietária, apesar de a empresa não estar mais credenciada pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran).

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário