Crise na Saúde: Câmara deve abrir CPI para investigar gestão de Gilberto Albuquerque

A crise na saúde começou coma exoneração da cúpula da Fundação Municipal de Saúde na última sexta

01/12/2022 10:32h - Atualizado em 01/12/2022 12:01h

Compartilhar no

Vereadores de Teresina confirmaram na manhã desta quinta (01) que uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) deve ser aberta na Câmara Municipal já na próxima quarta-feira para investigar a crise na saúde da capital. A revelação foi feita durante vistoria no Hospital do Buenos Airesinterditado pelo Conselho Regional de Medicina. Uma audiência pública ocorrerá na próxima terça e pode deliberar pela abertura da CPI. 


Leia Mais: 
Hospital do Buenos Aires: Bebê teria morrido por falta de neonatologista, denuncia CRM-PI 
Crise na saúde: CRM-PI aprova interdição ética no Hospital Geral do Buenos Aires 
Primeira-dama de Teresina quer mudar gerências da FMS e enfraquecer Gilberto Albuquerque 
Dra. Amariles Borba pede exoneração após 23 anos de trabalho na FMS 
Dr. Pessoa exonera diretor do HUT e muda gerências da FMS 



A crise na saúde que culminou com a interdição da unidade hospitalar, começou na última sexta quando a cúpula da Fundação Municipal de Saúde foi exonerada, além do diretor do Hospital de Urgência de Teresina (HUT). As mudanças seriam coordenadas pela primeira-dama do município, Samara Conceição Rodrigues , que briga internamente pelo controle da fundação com o atual presidente, Dr. Gilberto Albuquerque. A Diretora de Assistência Especializada da Fundação Municipal de Saúde, Amariles Borba, também pediu exoneração.

FOTO: Ascom PMT

O ex-presidente da FMS, vereador Luiz Lobão (MDB), lamentou a grave crise e confirmou que a CPI deverá ser aberta. Questionado se os vereadores estavam "esperando" a situação piorar, o parlamentar foi incisivo. “Não esperamos até agora, o Dr. Gilberto foi convocado três vezes a Câmara Municipal de Teresina para prestar esclarecimentos. Estamos aqui mais uma vez mostrando que estamos ao lado da população de Teresina. Tudo indica que sim, poderemos abrir uma CPI. Teremos uma audiência pública na terça e iremos decidir se abriremos uma CPI que poderá ser votada na quarta”, afirmou o vereador.

FOTO: Nathalia Amaral/ O DIA

Já o futuro presidente do legislativo, Enzo Samuel (PDT), comentou sobre o quadro encontrado no Hospital do Buenos Aires.  “Recentemente o orçamento foi votado propondo um remanejamento para a área da saúde, isso mostra que os vereadores estão atentos à situação de Teresina. Os maiores problemas no momento são a falta de insumos e de profissionais. Acho que o momento é de procurar o diálogo, sentar com a Prefeitura, o Ministério Público, o CRM e a Câmara para que a gente possa resolver esse problema o quanto antes. A crise é grave. Não acho que o momento seja para uma discussão política”, finalizou o vereador. 

FOTO: Nathalia Amaral/ O DIA

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no