Vereadores esvaziam reunião com Dr. Pessoa e querem investigar gastos do filho do Prefeito

Os vereadores da capital estariam insatisfeitos com o crescimento incomum no orçamento de pastas geridas pelo filho prefeito

08/11/2022 11:50h - Atualizado em 08/11/2022 12:32h

Compartilhar no

Cresce no parlamento municipal o clima de insatisfação com a gestão de Dr. Pessoa. O descontentamento foi evidenciado pelos parlamentares após os vereadores “esvaziarem” uma reunião com o Prefeito de Teresina na tarde da última segunda (07) . A reunião, que serviria para aparar arestas e insatisfações com o orçamento 2023, acabou sendo conduzida pelo Vice-prefeito, Robert Rios e o Secretário de planejamento João Henrique Sousa.  Dos 29 parlamentares somente nove estiveram no encontro. Segundo informações de bastidores o Prefeito chegou a ir até a Câmara, porém sequer desceu do carro devido ao baixo número de parlamentares.


Leia Mais: 

Dr. Pessoa cobra diálogo de vereadores após críticas a Lei Orçamentária 2023 
Orçamento 2023: Vereadores querem retirar R$ 100 milhões do filho e do genro de Dr. Pessoa 
Orçamento 2023: Dr. Pessoa chama de “mimimi” críticas da oposição a proposta 
Dr. Pessoa gastará mais com Comunicação em 2023 do que com Cultura, Esporte e Economia 
Orçamento 2023: Pessoa aumenta em R$ 100 milhões verba para secretarias do filho e genro 




Os vereadores da capital estariam insatisfeitos com o crescimento incomum no orçamento de pastas geridas pelo filho prefeito, presidente da Eturb, João Pessoinha, o genro, Secretário de Governo, André Lopes. Como o Portal O Dia revelou com exclusividade, Dr. Pessoa quer aumentar em R$ 100 milhões a verba para secretarias do filho e do genro no próximo ano , em contrapartida os vereadores querem, através de emendas, retirar boa parte do incremento orçamentário .  Um grupo de parlamentares trabalham a criação de uma comissão para investigar os gastos de Pessoinha com a iluminação pública.

Reunião esvaziada que ocorreu na última segunda na Câmara FOTO: Redes Sociais/ Divulgação

O líder de governo, Antônio José Lira, um dos poucos que compareceu a reunião, comentou a insatisfação política no parlamento. “Foi uma reunião exatamente para discutir o orçamento. Ele vem feito pelos técnicos e você trabalha em cima de uma previsibilidade para o ano seguinte, os poderes são independentes mas harmônicos, porém o vereador não pode ficar calado. A Câmara não criou nem vai criar embaraço para a gestão. A discussão política é normal, o relógio virou, a boca do jacaré. Os vereadores  não querem perder o mandato, por isso estamos tendo polêmica”, disse.

De forma emergencial a base do Prefeito convocou uma reunião nesta terça com todos os vereadores para tentar apaziguar o impasse do orçamento. Um dos líderes, o vereador Edilberto Borges, o Dudu, atacou os críticos ao projeto de lei orçamentária e cobrou seriedade. “Não sou aventureiro, nem vou tratar de picuinha. Estamos aqui tratando de uma lei orçamentária de R$ 4,5 milhões do povo de Teresina. Não vou discutir propostas infundadas. Não vejo mudança radical para fazer alterações radicais”, lamentou Dudu.

O Presidente da Empresa Teresinense de Desenvolvimento Urbano (ETURB), João Pessoinha, foi procurado pela reportagem do Portal O Dia, porém não retornou o contato.

Flagrante da reunião desta terça FOTO: Tarcio Cruz/ O DIA

Prazo para emendas termina semana que vem

De acordo com os vereadores quatro emendas devem ser apresentadas: a primeira irá propor a retirada de R$ 80 milhões da Eturb, que terá um orçamento de R$ 167 milhões, e a transferência da verba para a Strans, já a segunda irá sugerir o corte de R$ 10 milhões da Secretaria de Governo, a terceira irá propor uma redução em R$ 10 milhões na Secretaria de Comunicação. A quarta emenda articulada pelos vereadores irá reduzir o poder de transferência de recursos do Prefeito baixando de 35% a abertura de créditos suplementares para 10%.

O relator do orçamento, Alan Brandão (PDT), explicou que Dr. Pessoa não poderá derrubar as mudanças feitas pelo parlamento.  “Tivemos uma conversa interna com relação as alterações, vamos aguardar a finalização do prazo para apresentação de emendas que termina na próxima segunda. Vamos aguardar a documentação em si, se teremos modificação ou não. Se Houver alguma emenda e for aprovada no plenário ela será emitida para o executivo, ele tem o poder de vetar ou não e nós temos o poder de derrubar ou não”, finalizou. 

FOTO: Tarcio Cruz

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no