Justiça decreta ilegalidade da greve dos professores da rede municipal de Teresina

TJ-PI decidiu por suspender o movimento grevista e estipulou multa diária para o Sindserm

08/04/2022 09:45h - Atualizado em 08/04/2022 13:04h

Compartilhar no

O desembargador Oton Mário José Lustosa Torres decretou nesta sexta-feira (08) a ilegalidade da greve dos profissionais do magistério da rede municipal de ensino de Teresina. O Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI) decidiu por suspender o movimento grevista e estipulou multa diária de R$ 10 mil para o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Teresina (Sindserm), caso haja descumprimento da ordem. 


Leia também: Teresina: professores da rede municipal seguem em greve; protestos já duram 57 dias 

O desembargador também determinou que o Sindicato dos Servidores Municipais de Teresina (Sindserm) não promova a ocupação de prédios públicos municipais de Teresina e que, caso algum esteja nesta situação, que seja desocupado imediatamente, garantindo assim o livre acesso de quaisquer pessoas às repartições públicas. 

Os profissionais da educação de Teresina deflagraram a greve no dia 7 de fevereiro. As aulas da rede municipal deveriam retornar no dia 22 de fevereiro, em formato híbrido. O Sindserm deve apresentar resposta de contestação ao TJ-PI após o recebimento da ordem judicial. O Portal O Dia tentou entrar em contato com o Sindicato, mas não obtivemos resposta sobre a decisão da Justiça.

Movimento grevista

Os professores da rede municipal de ensino decidiram, por unanimidade durante assembleia da última segunda (04), continuar com a greve geral na educação que se iniciou no dia 7 de fevereiro e já completou 60 dias. Os profissionais da educação reivindicam o reajuste de 33,24% linear, frente aos 16% encaminhados pelo Dr. Pessoa. Durante a manifestação realizada em frente à Secretaria Municipal de Educação (SEMEC), os servidores afirmam em protesto: “a greve continua, prefeito a culpa é sua!”. 

A Prefeitura de Teresina oficialmente alegou a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) para deixar o reajuste abaixo do estabelecido pelo Governo Federal. Diante da situação, o Dr. Pessoa justifica que os professores de Teresina têm o melhor salário do Nordeste e já afirmou que o reajuste de 16% será mantido mesmo com a greve. 

"As aulas estão normais", diz Robert

Apesar da crise na educação e as dificuldades enfrentadas por alunos do ensino fundamental da capital, o cenário parece bem diferente para o vice-prefeito Robert Rios. “Não tem greve dos professores, tem greve do sindicato. As aulas estão normais, tudo está andando normalmente lá. Recebemos a Prefeitura com os professores em greve, a greve hoje no Brasil é quase um vício, tem pessoas que estão viciadas em greve. Os professores tiveram o maior aumento da sua história”, finalizou o vice-prefeito.  

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no