Pacientes relatam dificuldades em realizar testes de covid nas UBS de Teresina

Usuária que não conseguiu ser atendida na unidade de seu bairro teve atendimento negado na UBS do bairro vizinho. Outro paciente esperou três dias para saber se estava ou não com covid.

22/06/2022 08:59h - Atualizado em 22/06/2022 09:43h

Compartilhar no

Dificuldade para conseguir fazer o teste de covid e demora no recebimento dos resultados. É esta a realidade relatada por teresinenses com sintomas de síndrome gripal que precisaram se testar para saber se haviam ou não sido infectados pelo coronavírus na última semana. A reportagem do Portalodia.com foi procurada por moradores de dois bairros da zona Leste de Teresina reclamando da burocracia para conseguir fazer o teste. Um deles desistiu de tentar o diagnóstico pela rede pública de saúde e teve que recorrer à rede privada.


Leia também: Covid-19: Teste pode ser realizado em todas as UBS de Teresina a partir de hoje 


Na semana passada, a moradora Lorena Santos, moradora do Vale do Gavião, começou a sentir sintomas de síndrome gripal e decidiu procurar a Unidade Básica de Saúde (UBS) de seu bairro para passar por consulta médica e fazer o teste na última quinta-feira (16). No entanto, ao chegar na UBS, foi informada de que não haviam mais testes disponíveis e foi orientada a procurar atendimento em outra unidade.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

Lorena, então, procurou a UBS do Planalto Uruguai junto com o marido e o filho, mas lá também não conseguiu atendimento nem fazer o teste. “A gente chegou lá e eu disse o que estava sentindo, mas disseram que para me atender precisavam de um papel assinado pela minha agente de saúde. Eu falei que não tinha papel nenhum e me informaram que não iam poder me consultar nem fazer teste porque eu não moro no Planalto Uruguai e lá só atendem aos moradores daquele bairro”, relata Lorena.

Desistindo de tentar fazer o teste na rede pública municipal, ela procurou testagem na rede privada e acabou recebendo o diagnóstico positivo para covid-19 somente dias depois de ter sentido os primeiros sintomas. O filho de Lorena também positivou.

Mas a situação dela não é a única. O atendimento setorizado por bairros e ruas nas UBS de Teresina também causou transtorno para Luísa Alves, moradora do bairro Planalto Ininga. Ela conta que procurou a Unidade de Saúde do bairro na última sexta-feira (17), chegou a ser atendida pelo médico, fez o teste de covid, mas o resultado não saiu na hora.

“Me disseram que o teste só ia sair o resultado na segunda-feira. Eu procurei a UBS na tarde da sexta, porque sabia que se eu fosse pela manhã não seria atendida. Lá no meu bairro, a rua onde moro tem atendimento somente pela tarde. Não sei se o horário em que procurei atendimento colaborou para a demora na análise da amostra e o resultado do teste, mas eu saí do atendimento sem saber se estava ou não com covid. Esperava que já saísse de lá sabendo o que eu tinha”, explicou Luísa.


Foto ilustrativa: O Dia

Essa burocracia para fazer teste de covid e a dificuldade em conseguir um exame vem sendo registrada nas UBS de Teresina há semanas. No ia 09 de junho, o Portalodia.com visitou algumas unidades de saúde na capital e constatou que os testes não estavam sendo feitos porque, segundo as equipes, não houve treinamento por parte da Fundação Municipal de Saúde (FMS) para isso.

Na ocasião, a FMS informou que encaminharia as denúncias para o setor responsável para apurar a situação mas destacou que todos os funcionários e UBS que fazem teste de covid em Teresina receberam treinamento.

Sobre os relatos dos moradores do Vale do Gavião e do Ininga, a Fundação Municipal de Saúde disse que a orientação é que o usuário procure a unidade que faz parte do seu território e que de preferência a equipe que já o assiste atenda e acompanhe o caso. Isso facilita o acompanhamento do paciente e evita o distanciamento do usuário com o profissional com o qual ele é vinculado.

Com relação à falta de testes na UBS do Vale do Gavião, a FMS disse que há testes em estoque e que não justifica as unidades estarem sem insumos. O coordenador da UBS deve fazer o pedido de novos testes ao setor competente da Fundação. Já no que diz respeito à demora no resultado dos testes, o órgão informou que os testes rápidos saem em 15 minutos, mas que testes RT-PCR, que são encaminhados para análise no Lacen, demoram alguns dias para sair. Isso depende da demanda no Laboratório Central.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário