Zoobotânico poderá ser responsabilizado pela morte de onça em Teresina, diz delegado

Um inquérito policial foi aberto para investigar a morte da onça, ocorrida na noite do último sábado (04).

06/02/2023 12:00h - Atualizado em 06/02/2023 15:30h

Compartilhar no

O delegado Willame Moraes, da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), afirmou, em entrevista a O DIA TV, nesta segunda-feira (06), que o Bioparque Zoobotânico poderá ser responsabilizado criminalmente caso seja comprovado que a morte da onça suçuarana (ou onça-parda) está relacionada aos procedimentos adotados durante a captura do animal. Um inquérito policial foi aberto para investigar a morte da onça, ocorrida na noite do último sábado (04), durante a sua captura.

"Vamos avaliar toda uma gama de circunstâncias que culminaram na morte do animal. Nós temos uma lei federal que imputa responsabilidade, inclusive criminal, à Pessoa Jurídica. A Pessoa Física pode responder, mas a jurídica, caso tenha algum vínculo, pode responder também", explicou o delegado.

Foto: Divulgação/Bioparque Zoobotânico

De acordo com o delegado, o corpo da onça foi periciado por equipes do Hospital Veterinário da Universidade Federal do Piauí e também deverá ser periciado por uma equipe de peritos da Polícia Civil. Somente com base nos laudos emitidos é que poderá ser comprovada a causa da morte. 

"O que vai me dar a causa da morte é o laudo. Ele vai dizer se a onça morreu por estresse, por ser um animal selvagem. Se ele tinha alguma doença preexistente ou se morreu no momento da captura, por um método mal utilizado ou quebra de protocolo. Temos uma perícia realizada pela Universidade Federal que vai ser corroborada pela perícia oficial do Estado", afirmou o delegado.

Foto: Reprodução

Ainda na noite de sábado (04), a Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar) procurou a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente para informar sobre a morte da onça e solicitar a abertura de inquérito policial para investigar o caso. No mesmo dia, guardas municipais que acompanharam a captura do animal foram ouvidos pelo delegado.

"Fui com a minha equipe, no final da noite de sábado, até o Hospital Veterinário da UFPI, e duas professoras estavam fazendo o processo da necropsia. Entrei em contato com os guardas municipais que estavam de plantão para que viessem à delegacia e, na madrugada de domingo, já ouvimos três guardas que estavam presentes. Estamos esperando agora o laudo preliminar para que a gente tenha conhecimento da causa da morte e, com base também em outras provas testemunhais, a gente possa ter uma visão geral do que de fato aconteceu", explicou o delegado Willame Morais.

Outro lado

Em nota, o Bioparque Zoobotânico informou que a onça "Menino" foi resgatada da forma mais adequada para a sua sobrevivência. Segundo o parque, após o seu resgate com vida, a onça foi levada para um recinto e, continuando o seu monitoramento pela equipe de veterinários e biólogos, foi constatado algum tempo depois que a mesma não estava bem. "Iniciando os procedimentos médicos-veterinários, que infelizmente não impediram o seu óbito, por motivos que ainda estão sendo analisados através da necropsia", diz a nota.

Confira a nota na íntegra:

Nota de esclarecimento

Vimos a público prestar informações essenciais para uma melhor compreensão dos fatos relativos a fuga da onça suçuarana, que tinha o nome de "Menino".

Importante todos saberem que a situação sempre esteve sob controle do Batalhão da Polícia Ambiental e da equipe do Bioparque, composta por veterinários, biólogos e tratadores, que em nenhum momento perderam de vista o animal e o monitoraram sem que houvesse qualquer risco para a sociedade, desde o momento da sua fuga até o seu resgate.

O objetivo principal sempre foi o de garantir a segurança da população e ao mesmo tempo resgatá-lo com vida, o que foi plenamente alcançado, uma vez que "Menino" foi resgatado da forma mais adequada para a sua sobrevivência.

Após o seu resgate com vida, foi levado para um recinto, continuando o seu monitoramento pela equipe de veterinários e biólogos, que constataram algum tempo depois que o mesmo não estava bem, iniciando os procedimentos médicos-veterinários, que infelizmente não impediram o seu óbito, por motivos que ainda estão sendo analisados através da necropsia.

Após o óbito, "Menino" foi levado imediatamente para o Hospital Veterinário da Universidade Federal do Piauí, sendo iniciados no mesmo momento os trabalhos de necrópsia. Qualquer informação sobre as causas do seu óbito, antes da conclusão da perícia, seriam mera especulação, uma vez que os trabalhos de necrópsia ainda não foram concluídos.

Teresina-PI, 05 de fevereiro de 2023.

Administração do Bioparque Zoobotânico

Edição: Com informações de Raimundo Lima.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no