Veículo que seria vendido por pastor e fiel tinha restrição de roubo

A informação foi dada pelo coordenador do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o delegado Francisco Baretta, na manhã de hoje.

21/01/2022 12:09h - Atualizado em 21/01/2022 12:35h

Compartilhar no

Segundo o coordenador do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o delegado Francisco Baretta, as investigações sobre o duplo homicídio do pastor Carlos Alberto Oliveira e Silva Júnior e do corretor de veículos Raí Rodrigues Lima, revelam que o carro que seria vendido pelo corretor, um veículo do modelo Gol, tinha restrição de roubo/furto.


Leia mais: Em Teresina, pastor e fiel desaparecem após venderem carro para desconhecido 


De acordo com o delegado, o corretor já havia vendido um carro no dia anterior ao desaparecimento e estaria negociando a venda do veículo Gol, que, segundo a família, seria entregue no bairro Aeroporto a um comprador da cidade de Caixas. “Eles deixaram Teresina na noite do dia 11. No dia 10, o Raí comercializou um carro em Caxias, uma Strada, e estava comercializando esse veículo do modelo Gol, que tinha restrição”, diz o delegado.

Foto: Arquivo O Dia

Além disso, o pastor e o corretor de veículos, cujos corpos foram encontrados em estado avançado de decomposição na tarde desta quinta-feira (20), no município de Redenção, no estado do Maranhão, foram assassinados quase 24 horas após desaparecerem.

As investigações da Delegacia de Homicídios de Caxias, responsável pelo caso, apontam que os dois foram mortos no final da tarde do dia 12. Contudo, o pastor e o corretor disseram que entregariam um veículo a um suposto comprador no bairro Aeroporto, na zona Norte de Teresina, na noite do dia 11.

"Eles passaram para o estado do Maranhão, a notícia é de que eles iriam para o bairro Aeroporto, mas nunca foram para o bairro Aeroporto", destaca Baretta.

A polícia não informou, no entanto, o que teria ocorrido com as duas vítimas durante as horas em que deixaram a residência de um membro da Igreja da qual faziam parte, no bairro Pedra Mole, e o momento em que foram assassinados. Até o momento, o veículo que seria comercializado não foi localizado. 

Em entrevista à imprensa, a esposa do pastor, Janaína Rocha, afirmou que o marido não era o alvo, e que o pastor apenas estaria acompanhando o corretor de veículos Raí Rodrigues Lima na entrega do veículo. Além disso, Janaína enfatizou que o pastor Júnior não conhecia o passado de Raí, nem se ele tinha envolvimento com a criminalidade.

Os corpos das duas vítimas foram encontrados com sinais de tortura. Os dois estavam amarrados e uma das vítimas teve a cabeça decepada.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Edição: Com informações de Tony Silva.

Deixe seu comentário