Após Hospital do Buenos Aires, CRM fiscaliza denúncias em mais duas unidades de saúde

As denúncias contra as duas unidades dão conta da falta de medicamentos, insumos e quantidade de profissionais de saúde insuficiente

09/12/2022 16:02h - Atualizado em 09/12/2022 16:12h

Compartilhar no

O Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM-PI) realizou duas novas vistorias em unidades de saúde de Teresina para fiscalizar denúncias. Nessa quinta-feira (08/12), foram alvos de inspeções técnicas o Hospital do Monte Castelo, na zona Sul, e a Maternidade Wall Ferraz, na zona Sudeste. 

As denúncias contra as duas unidades dão conta da falta de medicamentos, insumos e quantidade de profissionais de saúde insuficiente para atender a demanda. Essas foram as mesmas justificativas do CRM-PI para realizar a interdição ética do Hospital do Buenos Aires, na zona Norte da capital, na semana passada. 

Na fiscalização dessa quinta, que foi acompanhada pelo Ministério Público do Piauí, Conselho Regional de Enfermagem e Conselho de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, foram constatadas farmácias e almoxarifados desabastecidos e necessidade de ampliação do quadro de pessoal.

Foto: Divulgação / MPPI

De acordo com o MPPI, no Hospital de Monte Castelo ficou comprovado a falta de fármacos e materiais, como seringas, agulhas, antibióticos, soro fisiológico, dentre outros insumos. Já na Maternidade Wall Ferraz, falta médicos, fisioterapeutas e enfermeiros.

O promotor Justiça Eny Pontes, titular da 29ª PJ de Teresina, disse que os fiscais e conselheiros do CRM-PI, CREFITO-14 e COREN vão elaborar relatórios técnicos com as informações coletadas nas inspeções que serão utilizados para subsidiar o trabalho do órgão do MPPI.

Foto: Divulgação / MPPI

Foto: Divulgação / MPPI

CRISE NA SAÚDE EM TERESINA

Em meio a uma crise na Fundação Municipal de Saúde (FMS), o médico Gilberto Albuquerque formalizou nessa quinta-feira o pedido de exoneração do cargo de presidente da FMS. O gestor enfrentou oposição dos vereadores que integram a base de apoio do prefeito Dr. Pessoa na Câmara Municipal e ainda viu pessoas indicadas por ele serem demitidas. 

O médico Paulo Márcio, diretor do Hospital Universitário da Universidade Federal do Piauí (HU-UFPI) chegou a ser convidado para assumir a FMS, mas rejeitou o convite de Dr. Pessoa sob alegação de que permanecerá no HU para a implantação do Instituto do Amor, que deverá ser referência no estado no tratamento de câncer. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Com informações do MPPI