Greve dos professores de Teresina completa 186 dias com nova manifestação

O movimento grevista chega ao sexto mês sem avanço nas negociações entre Prefeitura de Teresina e os trabalhadores, que cobram o pagamento linear do reajuste de 33,24%,

07/08/2022 15:04h

Compartilhar no

A greve da rede municipal de Educação de Teresina já dura seis meses e não há nenhuma expectativa de quando os trabalhadores retornem às salas de aula. No início deste mês de agosto a classe aprovou por unanimidade a continuidade da greve na capital e nesta segunda-feira (08/08), data que o movimento completa 186 dias, a categoria dá início a um novo calendário de manifestação.

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Teresina (Sindserm) prepara pelo menos dois atos grevistas para esta semana. Nesta segunda, os profissionais se concentram a partir das 8h em frente ao prédio do Instituto de Previdência do Município de Teresina (IPMT). Já na quinta-feira (11/08), os professores realizam manifestação na sede do Palácio da Cidade.

Foto: Assis Fernandes / O Dia

As comemorações dos 170 anos de Teresina, no dia 16 de agosto, também deverá contar com protesto dos professores diante da presença do prefeito Dr. Pessoa (Republicanos) e do secretário de Educação, Nouga Cardoso. O Sindserm prepara também para o final do mês um ato que reunirá pais de alunos para uma audiência de conciliação virtual com a Justiça. 

Novas reinvindicações 

O movimento grevista chega ao sexto mês sem avanço nas negociações entre Prefeitura de Teresina e os trabalhadores, que cobram o pagamento linear do reajuste de 33,24%, ante os 16% encaminhados pelo prefeito Dr. Pessoa e aprovado pela Câmara Municipal de Teresina. 

Nesse período, a gestão municipal chegou ameaçar demitir os servidores que não retornassem às salas de aula, determinou o corte do ponto dos grevistas e nega a existência da greve sob a justificativa de que o movimento já foi considerado ilegal por uma decisão judicial. 

Agora, os professores ampliaram as pautas de reivindicações. “Nouga Cardoso retirou ILEGALMENTE mais de 6 milhões de reais dos contracheques de Profissionais da Educação que lutam pelo cumprimento da lei federal e o prefeito José Pessoa (Republicanos - 10) determinou que fossem feitas várias ameaças que não têm NENHUM respaldo na legalidade, para aterrorizar profissionais que estão resistindo bravamente”, disse o Sindserm em nota. 

Audiência de conciliação

O Juiz João Gabriel Furtado Baptista da 2ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública da Comarca de Teresina designou audiência de conciliação entre a Prefeitura de Teresina e representantes dos professores para o próximo dia 22 de agosto. A decisão foi tomada no âmbito da ação que investiga o ato de improbidade administrativa que teria sido cometido por Dr. Pessoa. O Ministério Público pede o afastamento do Prefeito e do Secretário de Educação, Nouga Cardoso, além do ressarcimento de R$ 191 milhões de reais do FUNDEB.   

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário