Hospital do Buenos Aires: Coren-PI vai apurar caso de enfermeira que "atendeu" bebê

Por falta de neonatologista de plantão, profissional de enfermagem teria atendido bebê com orientações sendo dadas por telefone.

03/12/2022 08:58h

Compartilhar no

O Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren-PI) vai apurar o caso de um suposto atendimento feito por uma profissional de enfermagem a um bebê, no Hospital do Buenos Aires, que foi interditado na última quinta-feira (1º). De acordo com as denúncias recebidas pelo Conselho Regional de Medicina (CRM-PI), numa falta de neonatologista no plantão, "ligaram para uma profissional dessa área, que deu por telefone todas as indicações do que fazer" a uma profissional de enfermagem (na denúncia, não foi informado se era enfermeira ou técnica de enfermagem).


Leia também: Crise na saúde: CRM-PI aprova interdição ética no Hospital Geral do Buenos Aires 
Crise na Saúde: Câmara deve abrir CPI para investigar gestão de Gilberto Albuquerque 

Primeira-dama de Teresina quer mudar gerências da FMS e enfraquecer Gilberto Albuquerque
Dra. Amariles Borba pede exoneração após 23 anos de trabalho na FMS
Dr. Pessoa exonera diretor do HUT e muda gerências da FMS


(Foto: Nathalia Amaral / O DIA)

Por meio de nota, o órgão afirmou que "não tinha tomado conhecimento do ocorrido, até então. A partir do relatado, fará toda a apuração necessária, de acordo com o trâmite legal próprio desse tipo de ocorrência". Deve ser investigado se, durante o atendimento, alguma atitude tenha ferido o Código de Ética da Enfermagem.

Um bebê sobreviveu após ser atendido “por telefone” por uma neonatologista. “Tivemos esse caso da criança que foi atendida por telefone. Uma neonatologista informando uma atendente de enfermagem sobre como proceder. Além disso, há falta de insumos, medicamentos. E isso vem se protelando e não temos resposta, resultando nessa interdição, que é por tempo indeterminado. E o culpado são os gestores”, disse o presidente do CRM-PI, Dagoberto Barros da Silveira.

A falta de estrutura e de profissionais suficientes para atender a demanda na Unidade de Saúde foram as principais causas para o Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM-PI) realizar a interdição ética do Hospital Geral do Buenos Aires, na zona Norte de Teresina na última quinta-feira (1º).

Confira a nota do Coren:

O Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren-PI) não tinha tomado conhecimento do ocorrido, até então. A partir do relatado, fará toda a apuração necessária, de acordo com o trâmite legal próprio desse tipo de ocorrência.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no